sábado, 11 de agosto de 2018

Leptictidium

Um mamífero que mostra muitas características especializadas: pernas longas, cauda bastante comprida, braços pequenos e adaptados para segurar a comida e, provavelmente, uma tromba curta e móvel. Leptictidium viveu na Alemanha durante o Paleogeno, se alimentando de plantas, insetos e pequenos vertebrados (como podemos constatar pelo conteúdo estomacal preservado em alguns espécimes fósseis).

O modelo retrata a espécie L. tobieni, a maior do gênero, medindo até 90 cm de comprimento (sendo cerca de 50 cm correspondentes à cauda).

Porcelana fria, escala 1:2.










domingo, 29 de julho de 2018

Na Gruta do Urso - Arctotherium e Equus

Pleistoceno no Brasil, Estado do Tocantins. À frente do maciço da Gruta do Urso, um Arctotherium wingei assusta um bando de Equus (Amerhippus) neogeus, aproveitando a confusão da debandada para se aproximar e tentar abater um indivíduo.

Um estudo do Laboratório de Mastozoologia - UNIRIO (LAMAS) e colegas fez a constatação inédita da interação ecológica dessas espécies, onde os ossos do cavalo mostravam marcas deixadas pelo urso, que os consumira. 

Tive o prazer de produzir a ilustração para os pesquisadores!




domingo, 15 de julho de 2018

Xiphactinus

Novo modelo do peixe "nadadeira espada", Xiphactinus audax.

Porcelana fria, escala 1:15.






domingo, 8 de julho de 2018

Phenacodus

Um animal do tamanho de uma ovelha, que habitou a América do Norte durante o Paleogeno. É hoje considerado um "proto-perissodáctilo" (mamíferos de casco com número de dedos ímpar; representantes viventes são os equinos, rinocerontes e antas), ou seja, um animal primitivo aparentado a este grupo.

Phenacodus tem diversas espécies nomeadas, e o modelo retrata a P. primaevus.

Porcelana fria, escala 1:9.







quarta-feira, 27 de junho de 2018

Formação Crato

Cenário ilustrando a Formação Crato, localizada na Bacia do Araripe durante o Cretáceo Inferior. A Formação é abundante em organismos de excelente preservação, sejam vertebrados, invertebrados ou plantas.

Em primeiro plano, na área bosqueada, 2 Tupandactylus imperator se alimentam das sementes de Welwitschiostrobus murili. Acredita-se que tapejarídeos tenham se alimentado de sementes e frutas, e é inclusive proposta uma correlação entre o desenvolvimento das plantas angiospermas (plantas com flores e frutos) com pterossauros frugívoros, que agiriam como dispersores de sementes. Welwitschiostrobus não é uma angiosperma, mas suas sementes e cones podem ter atraído pterossauros frugívoros da mesma forma. Plantas Welwitschiaceae são ricamente conhecidas do Cretáceo brasileiro, com espécimes de diferentes estágios de crescimento. Hoje, a única representante vivente do grupo é Welwitschia mirabilis, encontrada apenas na Angola.

Ao fundo, vários Lacusovagus magnificens sobrevoam o local. Estes são um dos maiores pterossauros conhecidos da Formação, com estimativas de 4 m de envergadura das asas e 1 m de altura nos ombros. Também ao fundo, mais distante, estão os característicos estuários do ecossistema.

Saiba mais sobre a Formação Crato pela página em Pteros, a enciclopédia virtual dos pterossauros.




Atualização 21/07/2018: Obra vencedora do 1º lugar da categoria Profissionais no concurso de paleoarte realizado no XI Simpósio Brasileiro de Paleontologia de Vertebrados!

quinta-feira, 21 de junho de 2018

Icadyptes

O pinguim gigante (estimado em 1,5m de altura) conhecido de fósseis mais completos, e também o primeiro a ter o crânio encontrado. O crânio de Icadytes salasi, com cerca de 31,8cm, possuía um bico um tanto diferente daqueles vistos em pinguins atuais: era longo e fino, como o de uma garça, e dotado de uma textura vascular não vista em outros pinguins, indicando um revestimento córneo (ranfoteca) diferenciado, talvez parecido com o das aves Sulidae (atobás e gansos-patola), que têm o bico com textura similar.  

Icadyptes foi descrito junto de Perudyptes, e ambos ajudaram a preencher lacunas no nosso entendimento sobre a história evolutiva dos pinguins.

Porcelana fria, escala 1:8.









quinta-feira, 14 de junho de 2018

Mesosaurus - MuHNA

Mesosaurus tenuidens, Parareptilia aquático do Permiano. Modelo em porcelana fria, escala 1:3.

"MuHNA" é a sigla do "Museu de História Natural do Araguaia", inaugurado nesse mês. O modelo foi produzido para o seu acervo!