terça-feira, 23 de julho de 2019

Andrewsarchus

O misterioso Andrewsarchus mongoliensis, um animal conhecido apenas pelo enorme crânio (com 83 cm) e dentes.

Este animal foi originalmente classificado como um membro gigante da Mesonychidae, familía de carnívoros ou onívoros aparentados aos ungulados. Mesoniquídeos lembram superficialmente canídeos ou felinos, mas seus dedos terminavam em cascos ao invés de garras; esse aspecto foi comumente utilizado para retratar o Andrewsarchus.

Andrewsarchus foi tido como o mais esquisito Mesonychidae. Além do tamanho, ele seria a espécie da família mais inclinada à alimentação onívora, e notava-se semelhanças entre ele e entelodontes (consideradas como características convergentes, não por parentesco). Constatou-se até mesmo que ele se alimentava de forma mais parecida a um entelodonte do que a um mesoniquídeo.

Segundo análises mais recentes, no entanto, este enigmático gigante se trata de um Cetancodontomorpha - grupo que inclui também os entelodontes, hipopótamos e cetáceos. Andrewsarchus seria especialmente próximo dos entelodontídeos, o que é curioso visto que semelhanças com esses animais chamavam a atenção ainda enquanto A. mongoliensis era classificado como Mesonychidae.

Dessa forma, o modelo se afasta da anatomia de mesoniquídeo e se assemelha mais a um entelodontídeo (inclusive quanto ao modo de vida, tendo-o como um gigante onívoro), embora ainda sem exibir as características mais derivadas desse grupo, como a corcova muscular, o corpo mais compacto ou a presença de apenas 2 dedos por pata.  Vale lembrar que, sendo membros da Cetancodontomorpha, entelodontes não são próximos dos suínos, como se pensava.

Andrewsarchus é um interessantíssimo enigma, e contamos com a filogenia e a ecologia para tentar preencher as lacunas de sua anatomia, justificando as escolhas de uma reconstrução na medida do possível. Ainda assim, resta ao tempo mostrar como essa magnífica fera realmente se parecia.

Porcelana fria, escala 1:14.











sexta-feira, 21 de junho de 2019

Apresentando Isisfordia molnari!

Isisfordia molnari, uma nova espécie de crocodiliforme eussúquio, nada ao lado de um saurópode em Lightning Ridge, Austrália, durante o Cretáceo Médio. A imagem faz parte do artigo de descrição do animal, ilustrando sua aparência em vida e ambiente!

Esta espécie, a segunda do gênero Isisordia (já sendo anteriormente conhecida a I. duncani), foi descrita a partir de uma caixa craniana parcial. À I. molnari foi também atribuído, após uma nova análise, um fragmento de maxila até então identificado como parte do dentário do duvidoso "Crocodylus (Bottosaurus) selaslophensis". A pesquisa contribui com o nosso conhecimento sobre os crocodiliformes do Cretáceo australiano, raros no registro fóssil.

Muito obrigado a Lachlan Hart pelo convite para ilustrar a nova espécie, e também a Phil Bell por acompanhar o progresso! Foi uma honra poder produzir a ilustração!

Confira a pesquisa no artigo:
Hart LJ, Bell PR, Smith ET, Salisbury SW. 2019. Isisfordia molnari sp. nov., a new basal eusuchian from the mid-Cretaceous of Lightning Ridge, Australia. PeerJ 7:e7166 https://doi.org/10.7717/peerj.7166




segunda-feira, 10 de junho de 2019

Parasaurolophus

Um dos mais clássicos dinossauros bico-de-pato: Parasaurolophus walkeri, do Cretáceo Superior onde hoje é Alberta, Canadá.

O tecido mole retratado na crista é especulativo e inspirado em rumores da descoberta de impressões de pele associadas a essa parte do animal. Tais impressões ainda estariam sendo estudadas, então não há detalhes sobre a extensão ou tipo desse suposto tecido mole, mas é válida a inspiração para pensar em um animal tão clássico reconstruído de uma forma um pouco diferente do usual, mas ainda dentro do âmbito plausível.

Porcelana fria, escala 1:30.











segunda-feira, 13 de maio de 2019

Santanichthys

Um diminuto peixe que homenageia a Formação Santana em seu nome: Santanichthys diasii.

Este peixinho, apesar do tamanho (aproximadamente 30mm de comprimento), é conhecido de fósseis com excelente preservação. Seus ótimos espécimes renderam uma detalhada revisão em 2004.

Porcelana fria, escala 1:1.






segunda-feira, 15 de abril de 2019

Sacisaurus

Sendo um silessaurídeo, Sacisaurus agudoensis é um dinossauriforme com parentesco próximo aos dinossauros. Foi descoberto no Rio Grande do Sul, onde viveu durante o Triássico Superior.

Sacisaurus recebeu o nome de "lagarto saci" devido uma curiosidade: haviam sido achados vários fêmures da espécie, mas todos da perna direita.

Porcelana fria, escala 1:6.