quarta-feira, 9 de setembro de 2015

Dimetrodon

A ilustração é baseada em um espécime de Dimetrodon giganhomogenes, mais especificamente em seus espinhos neurais encontrados, estranhamente, contorcidos.

Em um estudo feito em 2012 descobriu-se que eles estavam assim devido a fraturas que se curaram com o tempo, e em uma interessante conclusão os autores sugeriram que a ponta dos espinhos só poderiam se curvar de tal forma caso não fossem sustentadas por uma membrana. Ou seja, sugeriram que Dimetrodon não possuía uma "vela" inteira, tendo ao menos a ponta dos espinhos neurais livres, não conectados por pele/membrana.

Na ilustração abaixo são retratados espinhos contorcidos por lesões, porém ainda sim a membrana se estende até a ponta da vela. A justificativa para isto seria o mesmo ferimento que fraturou os espinhos ter também rasgado a membrana entre eles, a impossibilitando de sustentá-los enquanto se curavam (permitindo assim a deformação).

Pintura digital.



5 comentários:

  1. Incrível, poderia fazer um Megalodon (Megalodonte)?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado! Ele não está em minha "lista" por enquanto, mas sendo uma espécie tão clássica, com certeza vou desenhá-lo, futuramente.

      Excluir
    2. Ok, boas sorte no seu trabalho. Se for possível, vou estar na exposição no Rio Grande do Sul :)

      Excluir
  2. Wow!! Demais, como sempre!
    Sou muito fã do seu trabalho Vitor.
    E cara essa fratura deve ter doido! hehe

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Márcio, admiro muitíssimo seu trabalho, sou seu fã tbm!
      Verdade, doeu em mim enquanto desenhava essa área da vela rsrs

      Excluir